Nova geração européia

Posted: sábado, 31 de julho de 2010 by FilipeJMS in Marcadores:
2

Espanha x França se enfrentaram nesta sexta-feira na final da Eurocopa Sub-19 disputada na França. Pode-se dizer que foi o confronto dos opostos, enquanto a Espanha ainda curte a sua melhor geração do futebol que recentemente conquistou o inédito Mundial, a França busca uma renovação urgente em sua seleção, visando apagar o fiasco do Mundial 2010.

As duas seleções chegaram à final não por sorte e nem por acaso, essas mesmas duas seleções se encontraram dois anos antes na final da Euro Sub-17, na ocasião deu Espanha. Agora foi diferente, a França venceu de virada a Espanha por 2 x 1 e chegou ao seu segundo título na competição.

A França estava no grupo A ao lado de Áustria, Inglaterra e Holanda, e com duas vitórias (sobre as seleções da Áustria e da Holanda) e um empate se garantiu na primeira posição do grupo. Nas semifinais a vitória de 2 x 1 sobre a Croácia garantiu a França na final. Já a Espanha vinha de 100% de aproveitamento, vitória sobre as seleções da Croácia, Portugal e Itália na primeira fase e sobre a seleção da Inglaterra nas semifinais.

Finalmente os franceses terão motivo para sorrir com o futebol, além do fracasso na Copa, os escândalos sexuais de dois de seus principais jogadores (Ribéry e Benzema) mancham um pouco a linda camisa construída por Platini e Zidane. Agora cabe ao técnico da seleção principal, o ex-jogador Laurent Blanc, saber a hora certa de convocar os meninos. Não deve colocá-los na fogueira, e sim ir mesclando a nova geração com a antiga geração que ainda pode render.

Já a Espanha é impressionante o trabalho de base deles, já tendo uma fantástica e consagrada geração, eles mostram que não querem perder o ritmo nos próximos anos. O curioso é a presença de dois brasileiros nessa seleção Sub-19, Thiago Alcântara (filho do ex-jogador Mazinho) do Barcelona e Rodrigo do Real Madrid. Mesmo tendo uma das ligas mais ricas do mundo e com grandes jogadores de diversas nacionalidades jogando no país, a Espanha mostra que é sim possível fazer um positivo trabalho de base.
(Foto: GloboEsporte.com.br)

Vantagens construídas

Posted: quinta-feira, 29 de julho de 2010 by FilipeJMS in Marcadores:
5

Santos e Internacional deram um grande passo em seus desafios do meio da semana. Jogando na Vila Belmiro, os meninos da vila venceram o Vitória por 2 x 0 e se aproximaram do inédito título da Copa do Brasil. Já o Internacional segue invicto sob o comando de Celso Roth, cinco vitórias em cinco jogos, dessa vez 1 x 0 sobre o São Paulo pelas semifinais da Copa Libertadores da América.

Desde que os campeonatos voltaram, a equipe do Santos foi uma das que mais sofreram para recuperar o ritmo de jogo do período antes da Copa. Ganso vem de um atroscopia no joelho, Neymar não tem sido tão eficiente e Robinho ainda busca curar a ressaca da Copa. Mas ontem foi diferente, ainda não foi aquele futebol envolvente do primeiro semestre, mas já foi bem melhor do que nas partidas pelo Brasileirão.

Desde o primeiro minuto o Santos partiu pra cima do Vitória, eles queriam construir uma boa vantagem logo nesse primeiro jogo, tendo em vista a forte pressão que irá enfrentar semana que vem na Bahia. Logo aos 14 minutos do primeiro tempo, Neymar aproveitou cruzamento de Pará e de barriga/peito marcou o primeiro. O que se viu depois foi um caminhão de gols perdidos pela equipe paulista, já os baianos ficaram acuados e deixaram o atacante Schwenk sozinho no ataque. Neymar ainda perdeu um pênalti à la Louco Abreu, muitos podem pensar que foi displicência sua, mas eu não vejo dessa forma. Se ele tem o costume de treinar esse tipo de cobrança e tem confiança, não tem problema nenhum em bater assim, se ele tivesse convertido o pênalti os mesmo que o criticam agora iam dizer que ele é um jogador de personalidade. O meia Marquinhos veio do banco e marcou o segundo gol santista em uma cobrança de falta aos 38 minutos o segundo tempo. O segundo jogo será na quarta-feira no estádio do Barradão.

No Sul o São Paulo cometeu o mesmo erro do Vitória, jogou demasiadamente na defesa. Giuliano
com um belo gol aos 23 do segundo tempo confirmou aquela história “água mole e pedra dura, tanto bate até que fura”. 1 x 0 é um placar magro, mas é um placar interessante para o vencedor. No segundo jogo qualquer empate serve ao Inter e basta eles marcarem um gol que o São Paulo passa a precisar vencer por dois gols de diferença. Quanto aos reforços do Internacional, os esforços para os regularizarem foram válidos. O goleiro Renan já passou uma maior confiança para o seu time e para a sua torcida do que o Pato Abandozieri passava, Rafael Sóbis entrou no segundo tempo e desde domingo já mostrou que não desaprendeu a jogar bola e Tinga deve voltar no segundo jogo.

Já o São Paulo e o técnico Ricardo Gomes vão passar por mais uma semana cheia de pressão, com um péssimo rendimento desde a volta da Copa, os paulistas ainda não reencontram o bom futebol apresentado nas duas vitórias contra o Cruzeiro nas quartas de final da Copa Libertadores. O segundo jogo será na quinta-feira no estádio do Morumbi.
(Fotos: GloboEsporte.com.br)

Nove vezes campeão e duas vezes papelão

Posted: segunda-feira, 26 de julho de 2010 by FilipeJMS in Marcadores: ,
5

Tinha tudo para ser um fim de semana especial para o esporte brasileiro. Nossa seleção de vôlei venceu a Rússia e conquistou o nono título da Liga Mundial de Vôlei, e nosso melhor piloto da atualidade, Felipe Massa, tinha tudo para ganhar sua primeira corrida no ano, o GP da Alemanha. Mas uma ordem indireta da Ferrari fez com que ele deixasse seu companheiro de equipe, Fernando Alonso, o ultrapassar e ganhar a corrida.

Até hoje nos lembramos do episódio de 2002 quando a mesma Ferrari mandou Rubens Barrichello abrir passagem para Michael Schumacher vencer o GP da Áustria. Passaram-se oito anos e o lamentável episódio voltou a se repetir. Tudo bem que o Alonso estava mais rápido que o Massa, mas o correto seria deixar os dois brigarem na pista. Largando em terceiro no grid, Massa pulou para o primeiro lugar logo na largada e Alonso se manteve no segundo lugar.

Até a fatídica 49° volta, os dois pilotos brigavam honestamente na pista, eles se alternavam com a melhor volta do GP, mas aos poucos o carro do Massa foi perdendo rendimento e Alonso ia se aproximando. Então veio a ordem indireta da Ferrari: “Fernando está mais rápido que você. Pode confirmar que entendeu esta mensagem?” Massa entendeu perfeitamente a mensagem e deixou Alonso ir embora. As primeiras posições não sofreram mais alterações até o final da corrida, e o GP da Alemanha terminou de forma melancólica. Talvez essa manobra da Ferrari não passe batida, a FIA já multou em US$ 100 mil a Ferrari e irá convocar uma reunião extraordinária para julgar o caso.

Mais tarde nosso vôlei nos trouxe mais um título, e dessa vez dentro da casa dos nossos Hermanos, convenhamos isso deixa o título mais saboroso né! A vitória de 3 x 1 sobre a Rússia (parciais 25/22, 25/22, 16/25, e 25/23) nos deu o nono título da Liga e nos colocou como maior vencedor da Liga, deixando a Itália com oito títulos em segundo. Bernardinho mais uma vez provou o quanto é bom, com uma seleção renovada, com Giba e Bruninho no banco e desfalcada do líbero Serginho, passou por algumas dificuldades no torneio, mas no final provou que nosso voleibol é sim o melhor do mundo. Murilo foi eleito o MVP do torneio e Mário Júnior o melhor líbero. (Fotos: GloboEsporte.com.br)

Almoçamos com Muricy e jantamos com Mano

Posted: sábado, 24 de julho de 2010 by FilipeJMS in Marcadores:
4

Na hora do almoço de ontem tivemos uma surpresa, e na hora da janta um surpresa maior ainda. Muricy Ramalho foi anunciado como novo técnico da seleção Brasileira de futebol pelo presidente da CBF ao vivo no Globo Esporte, e mais tarde recebemos a notícia de que o Fluminense, atual clube de Muricy, não liberou o treinador e ainda renovou com ele até o fim de 2012, com isso o convite para assumir a seleção foi repassado para o Mano Menezes

Após chegar à primeira posição do campeonato Brasileiro com o Fluminense, Muricy passou a ter a preferência da CBF. Técnico vitorioso (três títulos Brasileiros com o São Paulo, bicampeão gaúcho com o Internacional, bicampeão pernambucano com o Náutico, campeão paulista com o São Caetano, entre outros) e de pulso firme, sempre tem o elenco em suas mãos e que sabe armar time como poucos. Até seu humor melhorou, temos visto Muricy em uma fase mais light aqui no Fluminense.

A CBF quer exclusividade do novo técnico da Seleção, já o quer convocando jogadores na segunda-feira para um amistoso contra os EUA em Agosto. O Fluminense também não quer dividir seu treinador com a seleção, principalmente após a briga política entre seu presidente e o presidente da CBF. Com isso o preferido para o cargo ficou em uma situação complicada, aceitava o convite da seleção e realizava o sonho de todo profissional ou continuava no clube onde já é tratado como ídolo em tão pouco tempo de casa? Sinceramente, não vejo necessidade dessa exclusividade nesses cinco meses que faltam para acabar 2010. Muricy poderia perfeitamente conciliar Seleção Brasileira e Fluminense e em 2011 ele assumiria de vez a seleção. Mas a CBF não quis assim, paciência!

Com Muricy fora as atenções voltaram para Mano Menezes, o favorito de muitos jornalistas. O técnico corintiano também é vitorioso e sabe lidar com estrelas. Seus principais trabalhos foram no Grêmio, onde conquistou o Campeonato Brasileiro da série B de 2005 e o bicampeonato gaúcho, e o Corinthians, onde levou a série B de 2008 e o Paulista e a Copa do Brasil de 2009. Mano é um bom técnico, tem experiência e já está acostumado com pressão, afinal ser bem sucedido treinando o Corinthians não é tarefa das mais fáceis. Nossa seleção estará em boas mãos!

O convite já foi feito e acredito que ele não terá problemas para se desligar do Corinthians, afinal o presidente do timão foi o chefe da delegação brasileira na África do Sul e tem bom relacionamento com Ricardo Teixeira. Mano irá dar uma entrevista coletiva hoje às 9h30m onde provavelmente irá comunicar que aceita a Seleção Brasileira, mas uma coisa é certa, é bom que ele esteja preparado para comandar o país em uma Copa em casa, tenho certeza que nessa época ele vai ser sim o homem mais importante do país, deixando o presidente em segundo! (Fotos: GloboEsporte.com.br)

Fase final da Liga Mundial de Vôlei

Posted: quinta-feira, 22 de julho de 2010 by FilipeJMS in Marcadores:
5

A melhor seleção brasileira de esportes coletivos começa sua busca por mais um título da era Bernardinho. Ontem começou a fase final da Liga Mundial de Vôlei, dessa vez disputada na Argentina. Na luta para conquistar seu nono título na Liga, nossa seleção estreou com uma vitória de 3 x 2 sobre os donos da casa (25/17, 23/25, 25/20, 19/25, e 15/10). Foi um jogo bem mais complicado do que se esperava, afinal na primeira fase a seleção da Argentina havia perdido seus 12 jogos. Hoje às 21h a seleção Brasileira faz sua segunda partida, dessa vez contra a seleção da Sérvia.

A liga é dividida em duas etapas, na primeira as equipes de cada grupo se enfrentam em dois jogos de ida e dois jogos de volta. O Brasil com 11 vitórias e somente uma derrota garantiu o primeiro lugar do grupo A, que tinha Holanda, Bulgária e Coréia do Sul. Os quatro líderes de grupos e mais o segundo melhor se juntam aos donos da casa e passam para a fase final, que é disputada cada ano em um país sede.

Na fase final as seis seleções se dividem em dois grupos, no grupo E estão as seleções do Brasil, da Argentina a da Sérvia, e no grupo B Itália, Rússia e Cuba. As seleções de cada grupo jogam entre si em uma única partida e as duas primeiras passam para as semifinais. As vencedoras fazem a grande final do torneio.

Desde que assumiu a seleção, Bernardinho acumula vitórias e títulos. Só na Liga Mundial de Vôlei foram sete dos oito títulos que o país conquistou ao todo. Nessa lista podemos incluir também Campeonatos Sul-Americanos, Campeonato Mundial, Pan-Americano e o mais importante de todos, as Olimpíadas. Se antes nossa base tinha entre outros, Nalbert, Serginho, Gustavo, e Ricardinho, hoje têm Bruninho, Lucão, Leandro Vissoto, Murilo, e Mário Júnior. Os únicos remanescentes da primeira grande seleção montada por Bernardinho são Giba, Rodrigão e Dante.

Criada em 1990, a Liga Mundial de Vôlei é dominada pelo Brasil e pela Itália, cada seleção tem oito títulos no currículo. A Itália leva vantagem por ter três vices campeonatos e o Brasil só dois. Cuba, Rússia, Holanda e EUA completam a lista de vencedores da Liga com um título conquistado cada. (Foto: GloboEsporte.com.br)

Isso que é espírito esportivo

Posted: quarta-feira, 21 de julho de 2010 by FilipeJMS in Marcadores:
1

Espírito esportivo entre outras coisas é saber reconhecer a superioridade do adversário, mas isso não impede a pessoa de comemorar do seu jeito quando achar necessário. Vejam esse vídeo para entenderem o que eu estou tentando dizer, mas vejam até o final hein!

video

Só a CBF para explicar

Posted: segunda-feira, 19 de julho de 2010 by FilipeJMS in Marcadores:
6

O reforço teoricamente vem para somar algo de positivo no clube, se ele é contratado é porque o clube carece de talento na posição e com isso o quanto mais rápido ele estrear, melhor vai ser. Alguém sabe responder por que a CBF só permite a inscrição de jogadores vindo do exterior a partir de Agosto? Antes eu pensava que era uma recomendação da FIFA, mas não é o que acontece. A FIFA em nada fala sobre isso, a norma é única e exclusivamente da CBF.

Nos dois últimos anos o nível técnico do futebol apresentado no país melhorou, muito devido ao elevado número de grandes jogadores vindo do exterior. Ronaldo, Adriano, Vagner Love, Fred, Roberto Carlos, Gilberto são bons exemplos desses jogadores. Esse ano outros bons valores já foram contratados e estão “apenas” treinando na espera do mês de Agosto. Alguns exemplos são: Felipe, Zé Roberto, Carlos Alberto e Éder Luís no Vasco, Daniel Carvalho no Atlético-MG, Tinga, Renan e Rafael Sóbis no Internacional, Renato e Val Baiano no Flamengo, Keirrison no Santos, Montillo no Cruzeiro, etc. Tenho certeza que esses jogadores vão aumentar o nível do campeonato, vão levar mais torcedores aos estádios e vão trazer mais patrocinadores para os clubes e para o torneio. Ou seja, todos vão sair ganhando!

O clube paga o salário desses jogadores e não tem nenhum retorno até Agosto. O pior que nem em treinamento você pode testar a formação que pretende escalar, pois como tem jogo quarta e domingo e a vaga do treinador é sempre colocada em prova, tem que pensar no presente, deixando o futuro próximo um pouco de lado. Se a CBF insiste nessa norma, por que não faz valer também para vendas para fora do país? O jogador só pode sair do Brasil quando o mercado aqui estiver aberto, ou seja, só em Agosto também. Ele pode ser vendido em qualquer momento, mas só terá condições de jogo no outro país na mesma data em que os jogadores vindos do exterior terem aqui.

Talvez o único clube que aprova essa norma da CBF seja o São Paulo, devido ao confronto contra o Internacional no final de Julho pela Libertadores. Mas isso é esse ano, ano que vem poder ser ele, o São Paulo, que esteja pedindo que a entidade máxima do futebol brasileiro reconsidere a sua decisão.

A falta que a autonomia faz

Posted: sábado, 17 de julho de 2010 by FilipeJMS in Marcadores:
1

No início dessa semana, o diretor executivo de futebol do Flamengo, o ídolo Zico, disse que a conquista do Campeonato Brasileiro de 2009 fez mal ao clube. É claro que ele se referiu ao fato de os jogadores daquele time acharem que por terem sido campeões podiam fazer o que quisessem, mesmo que desrespeitassem a instituição. Vou deixar logo a minha opinião para a afirmação do Galinho: NÃO concordo!

Qualquer título faz bem ao clube, principalmente o do campeonato nacional mais equilibrado do mundo. O que faltou ao Flamengo foi mais pulso firme de seus dirigentes em diversas ocasiões, inclusive antes mesmo de o clube levar o Brasileirão. Basta lembrar as inúmeras faltas do Adriano, da sua incrível desculpa de que tinha queimado o pé em uma lâmpada de jardim e também da pequena discussão do Petkovic com parte da diretoria sobre a premiação em caso de conquista.

Não foi o título que fez com que Adriano passasse a faltar mais aos treinos e se envolvesse em escândalos com sua ex-noiva, não foi o título que fez Vagner Love andar pela Rocinha escoltado por homens armados com fuzis, não foi o título que fez com que Bruno e Petkovic brigassem no intervalo de um jogo pela Libertadores, e não foi o título que fez o Bruno ser acusado de várias crimes que temos visto pela TV contra uma ex-amante sua. O que fez tudo isso acontecer foi a frouxidão dos dirigentes rubro-negros, desde a presidência até o técnico, que sempre passava a mão na cabeça de seus jogadores (com exceção do caso Bruno).

O que mais me espanta é ver toda a mídia dizendo que o Zico está certo, talvez muitos ainda confundam o Zico jogador com o Zico dirigente. Como jogador não há o que se discutir em relação ao Galo, mas como dirigente achei uma tremenda bola fora essa afirmação dele. Muitos parecem ficar com medo de criticar alguém que tanto já elogiaram quando jogavam. Outro exemplo disso é Roberto Dinamite no Vasco, sabemos que ele pegou um clube quebrado e sem recursos previstos. Mas não pode jogar para debaixo do tapete os erros que ele teve em sua gestão, como por exemplo a contratação de familiares seus para trabalharem no clube, o inexplicável depósito de dinheiro do clube na conta de um agente de futebol, além de outros pequenos erros.

O quero dizer é que quando um atleta pendura as chuteiras e passa para outra função dentro do futebol, ele deve sim ser criticado quando errar, não importa quem ele foi ou o quanto era bom quando jogava. A função de jogador, técnico e dirigente não é farinha do mesmo saco!

Semana das estrelas na MLB

Posted: quinta-feira, 15 de julho de 2010 by FilipeJMS in Marcadores:
4

Sabe aquele jogo festivo com os melhores jogadores do campeonato, então se por aqui é comum ver isso após o término do campeonato, nos EUA não! Com exceção da NFL, os All Star Games (Jogo das Estrelas) sempre acontecem no meio da temporada, e essa semana foi a vez da MLB, o beisebol.

Esse mini-recesso se resume a quatro dias de folgas para as equipes (de segunda a quinta), pode parecer pouco, mas levando em consideração que quase todo dia tem jogo, esses quatro dias são úteis para recarregar as baterias e partir para a reta final do campeonato. Em cada ano uma cidade diferente, que possui equipe disputando a liga, recebe o evento. Além das partidas de exibições que acontecem como, por exemplo, o jogo dos artistas, o que mais chama a atenção é o Home Run Derby e o All Star Game.

Um home run é
quando o rebatedor manda a bola para fora do campo, claro que dentro dos limites do campo, e com isso ele pode percorrer todas as bases livremente para marcar um ponto. Se já estiver alguém do seu time em qualquer uma das outras três bases, eles também percorrem até chegar o home plate, que é como se fosse a linha do gol, após passar por ela você marca um ponto.

O Home Run Derby é uma disputa simples para ver quem rebate mais bolas para fora do estádio. São quatro jogadores da divisão Americana e mais quatro da divisão Nacional, os quatro melhores passam para a segunda fase e depois os dois melhores fazem a final, e vale destacar que os homes runs das outras fases vão sempre se acumulando. O mais bacana dessa divertida partida é que em cada home run rebatido, um valor em dinheiro é destinado para uma instituição de caridade representada pelo jogador. O vencedor do Home Run Derby de 2010 foi David Ortiz do Boston Red Sox com 32 rebatidas para fora do estádio.

O beisebol é o único esporte que faz o jogo das estrelas servir para algu
ma coisa para as equipes. Como disse anteriormente, a liga se divide em duas divisões, a Americana e a Nacional, com isso os melhores jogadores de cada liga se enfrentam no All Star Game em busca de conquistarem o mando de campo para o time da sua liga que irá disputar a World Series, a final do beisebol. A final é uma melhor de sete jogos, e a liga que vencer o jogo das estrelas garante poder jogar quatro jogos em seu campo. E após 14 anos, a Liga Nacional venceu a Americana por 3 x 1 e garantiu uma pequena, mas significativa, vantagem para uma de suas equipes. (Fotos: ESPN.com)

Análise da Copa 2010

Posted: terça-feira, 13 de julho de 2010 by FilipeJMS in Marcadores:
6

A Copa da África pode não ter sido uma das melhores no nível técnico, mas eu gostei da competição e principalmente do campeão. A final foi entre as duas melhores seleções da Copa, muitos podem achar que a Alemanha foi a que melhor futebol apresentou em 2010. Talvez tenha sido, mas quando perdeu um dos seus jogadores por suspensão (Thomas Müller) ficou muito enfraquecida, coisa que não aconteceu com a Holanda quando ficou sem Robben e com a Espanha que não contou com Fernando Torres em sua melhor forma.

Vi a maioria dos jogos e baseado nisso fiz a minha seleção da Copa: Goleiro: Stekelenburg (HOL); Laterais: Phlip Lahm (ALE) e Van Bronckhorst (HOL); Zagueiros: Lúcio (BRA) e Puyol (ESP); Volantes e meias: Schweinsteiger (ALE), Iniesta (ESP), Thomas Müller (ALE), e Sneidjer (HOL); Atacantes: Diego Forlán (URU) e David Villa (ESP). Outros jogadores fizeram uma boa Copa, mas ficaram de fora dos meus 11 titulares, entre eles: os bons goleiros Eneyama da Nigéria e Ricardo de Portugal, o zagueiro Marcos Túlio Tanaka do Japão e Piquet da Espanha, o volante Peréz do Uruguai, os meias Xavi da Espanha e Ozil da Alemanha, e os atacantes Luís Suárez do Uruguai e Javier Hernandéz do México.

Foi eleito como melhor jogador do mundial o uruguaio Diego Forlán, desbancando os finalistas e favoritos Sneidjer e Villa. Achei justa a escolha, Forlán foi eficiente jogando recuado em busca de levar mais qualidade ao meio campo uruguaio, além disso talvez ele tenha sido o que melhor se adaptou a bola Jabulani. Cassilas foi eleito o melhor goleiro, apesar de achá-lo um goleiraço não concordei com a escolha. Na final Cassilas foi um monstro no gol, mas nas partidas anteriores o achei meio inseguro. Thomas Müller levou dois prêmios, o de revelação e o de artilheiro devido aos critérios de desempate. Grata surpresa alemã que tem tudo para manter o alto nível ao longo dos próximos anos.

Os gols mais bonitos da Copa eu fico com três: o segundo gol do Luís Fabiano contra a Costa do Marfim, o gol do Van Bronckhorst contra o Uruguai e o gol do Luís Suárez contra a Coréia do Sul. A melhor defesa foi a do atacante/goleiro Luís Suárez no último minuto do segundo tempo da prorrogação contra Gana. Na primeira Copa na África destaco de positivo a alegria dos africanos, que mesmo tendo sido eliminados logo na primeira fase, mantiveram a descontração e o orgulho de sediar a Copa, e também o show de imagens captadas pelas inúmeras câmeras nos estádios. De negativo o péssimo estado dos gramados na maioria das partidas e os erros incríveis de arbitragens.

No ultimo mês poucas foram as colunas publicadas que não fossem sobre a Copa do Mundo, talvez muitos de vocês já não agüentam mais ler sobre a Copa, com isso está será minha última coluna sobre a Copa do Mundo 2010. Nos vemos em 2014!

A Fúria é campeã

Posted: domingo, 11 de julho de 2010 by FilipeJMS in Marcadores:
1

Espanha campeã da Copa do Mundo 2010! Com fama de amarelona, a fúria calou a boca de seus críticos e conquistou a primeira Copa de sua história, de quebra ainda entrou no seleto grupo das potencias mundiais do futebol. Sempre conhecida pelo sucesso de seus clubes, ainda faltava esse título para a seleção ser considerada grande. Agora são oito campeões mundiais diferentes: Brasil com cinco, Itália com quatro, Alemanha com três, Argentina e Uruguai com dois, e Inglaterra, França e Espanha com um título mundial no currículo. A vice-campeã Holanda chega ao seu terceiro vice na história das Copas.

A final prometia ser um jogão, duas equipes com jogadores técnicos e com bom toque de bola e que sempre buscam o gol estavam em campo, mas o que chamou a atenção foi a violência da partida. O árbitro inglês Howard Webb foi complacente, abusou da conversa e fez vista grossa em lances que mereciam cartão vermelho direto, e mesmo assim a final foi a mais violenta da história das Copas em termos de cartão amarelo com 13 e ainda teve um vermelho para o zagueiro holandês Heitinga.

Outro fato que chamou a atenção foi o grande número de chances claras de gol desperdiçadas por ambas as equipes. Sérgio Ramos, Iniesta, Fabregas e David Villa pela Espanha e Mathijsen, Robben (duas vezes) perderam gols incríveis na partida, com isso a vitória espanhola só veio mesmo no segundo tempo da prorrogação. Aos dez minutos Fernando Torres recebeu na esquerda e lançou a bola cortada pela zaga holandesa, no rebote Fábregas dominou e rolou para Iniesta marcar, a bola ainda tocou levemente no goleiro Stekelenburg. Fim de jogo: Espanha 1 x 0 Holanda!

A emoção dos jogadores da Espanha tomou conta no estádio Soccer City, em Johanesburgo, Cassilas que não vinha fazendo uma Copa segura se recuperou na final e já caía no choro antes mesmo do apito final. Iniesta foi considerado o melhor jogador da final pela FIFA e na comemoração do seu gol mostrou uma camisa em homenagem a Dani Jarque, capitão do Espanyol que morreu no ano passado devido a um ataque cardíaco. A Espanha entra pra história como a seleção campeã que menos marcou gols na história das Copas, foram apenas oito gols neste Mundial. Mas se igualou a França e a Itália como campeãs com a defesa menos vazada, foram apenas dois gols sofridos.

A Holanda que estava invicta desde as eliminatórias para a Copa e que tinha 100% de aproveitamento até então fica com o sentimento de frustração, nossos carrascos nesta Copa terão que esperar pelo menos mais quatro anos para conquistarem o Mundial. (Foto: GloboEsporte.com.br)

Alemanha em terceiro e Uruguai em quarto

Posted: sábado, 10 de julho de 2010 by FilipeJMS in Marcadores:
1

Disputa de terceiro lugar sempre tem um ar melancólico, mas também nela as equipes se lançam mais ao ataque sem se preocupar tanto em defender, afinal terceiro e quartos lugares estão quase no mesmo barco. Foi o que aconteceu hoje entre Alemanha x Uruguai, os perdedores das semifinais do meio da semana fizeram um jogo movimentado no estádio Nelson Mandela Bay, em Porto Elizabeth, e os europeus levaram a melhor: 3 x 2.

O técnico, comedor de meleca, Joachim Löw deu chance para muitos de seus reservas na partida. Ele poupou o goleiro Neuer, o lateral Lahm e os atacantes Podolsky e Klose, este último com dores nas costas viu sua chance de alcançar Ronaldo Fenômeno na artilharia geral de todas as Copas irem embora. Já o Uruguai foi completo para a partida, inclusive com a volta dos suspensos Fucile e do “goleiro” Luís Suárez. O primeiro gol saiu aos 19 minutos da primeira etapa, Schweinsteiger mandou uma bomba de fora da área, o goleiro uruguaio Muslera falhou e no rebote Thomas Müller guardou na rede. O empate da Celeste veio com Cavani aos 28 minutos, o atacante recebeu belo passe de Suárez e só teve trabalho de tirar do goleiro alemão Butt.

No início do segundo tempo Forlán virou a partida para a Celeste com classe, o melhor jogador do Uruguai mandou um voleio no canto esquerdo de Butt. Muslera apareceu de forma negativa novamente aos 11 minutos, o goleiro uruguaio saiu mal do gol e Jansen empatou a partida. Pode se questionar o porquê do Muslera ser o titular do Uruguai, mas basta ver o antigo botafoguense Castillo no banco que logo se entende o motivo. A virada alemã veio de cabeça aos 37 minutos com Khedira. Fim de jogo, Alemanha em terceiro e Uruguai em quarto.

Foi a quarta vez que a tricampeã Alemanha termina na terceira posição em Copas do Mundo, com uma seleção jovem os alemães surpreenderam muita gente (inclusive eu) com belas atuações, principalmente contra Austrália, Inglaterra e Argentina. Em 2014 tem que manter a base montada por Löw, só que dessa vez com uma Copa do Mundo disputada na bagagem, e seguir em frente. Já o Uruguai surpreendeu muito mais, desde 1970 que a Celeste não fazia uma campanha digna de bicampeã mundial, agora tem que comprovar em futuras competições que essa Copa não foi um caso atípico. Luís Suárez e Cavani com 23 anos ainda tem muita coisa para fazerem no futebol e precisam se consolidar já que Forlán com 31 anos não deverá participar em 2014. (Foto: GloboEsporte.com.br)

Fúria na final

Posted: quinta-feira, 8 de julho de 2010 by FilipeJMS in Marcadores:
2

Finalmente a Espanha demonstrou o futebol que nós esperávamos, nesta quarta-feira venceu a Alemanha por 1 x 0 (mesmo placar da final da Eurocopa 2008) no estádio Moses Mavhida, em Durban, e chegou a sua primeira final de Copa do Mundo. A Fúria pode não ter encantado no número de gols, mas a plasticidade de alguns lances foi de encher os olhos. Com sua melhor geração, a Espanha busca consolidar os títulos da Eurocopa 2008 e da Copa do Mundo 2010. A Alemanha desfalcada de Thomas Müller jogou recuada e acreditou que venceria o jogo nos contra-ataques, isso foi um grande erro.

Desde o início do jogo a Espanha era melhor, tinha mais volume de jogo, tocava a bola e buscava sempre o gol. Já a Alemanha em nada lembrava a seleção que acabou com a Inglaterra e a Argentina. No primeiro tempo a melhor chance de gol foi da Espanha, aos 13 minutos Iniesta cruzou da direita e Puyol cabeceou com perigo. Na etapa final a Espanha veio com tudo, Xabi Alonso, David Villa e Pedro perderam boas oportunidades. Em uma das jogadas mais bonitas da Copa, Xabi Alonso deu de letra para Iniesta, que invadiu a área e quando chegou à linha de fundo cruzou, David Villa se estivou todo, mas não conseguiu encostar na bola.

A melhor oportunidade alemã veio com Kroos que mandou de primeira após bom cruzamento de Podolsky pela esquerda, Casillas fez boa defesa. O gol saiu aos 27 minutos, Xavi cobrou escanteio e Puyol com seus 1,78m subiu mais do que toda a gigante defesa alemã e testou sem chances para o goleiro Neuer. Foi apenas seu terceiro gol com a camisa da Espanha, mas com certeza o mais importante até agora da história do futebol espanhol. A Fúria ainda desperdiçou boas chances de matar o jogo nos contra-ataques com Pedro e Fernando Torres, a Alemanha se lançou ao ataque, mas já era tarde demais. Resta agora ao treinador comedor de meleca Joachim Löw responder por que sua seleção não manteve a mesma postura da dos confrontos das oitavas e das quartas.

Espanha e Holanda se enfrentam na final no domingo às 15h30 no Soccer City. Depois de 12 anos a Copa do Mundo terá novamente um campeão inédito (a última tinha sido a França em 1998), e será a primeira vez na história das Copas que pelo menos uma das seguintes seleções não estarão na final da Copa: Brasil, Argentina, Alemanha e Itália.

Transcrevo aqui um trecho de uma coluna minha publicada no dia 5 de Junho, ou seja, antes da Copa. “Chegam até as semifinais às seleções da Inglaterra, Holanda, Argentina, e Espanha. Nas semifinais dois jogos espetaculares, Inglaterra x Holanda e Argentina x Espanha. A final será entre Holanda x Espanha. O vencedor da Copa 2010 será a Holanda!” Sim, errei no confronto das semifinais, mas a final acertei. Será que acerto o vencedor também?
(Foto: GloboEsporte.com.br)

32 anos depois, Holanda na final da Copa!

Posted: terça-feira, 6 de julho de 2010 by FilipeJMS in Marcadores:
3

Foi digno de semifinal de Copa do Mundo, Holanda e Uruguai fizeram um jogo disputado nesta terça-feira no estádio Green Point, na Cidade do Cabo. A Laranja Mecânica venceu a Celeste por 3 x 2 e chegou a sua terceira final de Copa do Mundo, a última tinha sido em 1978, e agora vai em busca de seu primeiro título. Já o Uruguai chegou bem mais longe do que se era esperado, a população uruguaia tem que estar orgulhosa de seus jogadores pela campanha na África do Sul.

O confronto era entre a técnica holandesa contra a garra uruguaia. Tendo o melhor time, a Holanda logo deu provas de sua superioridade. Robben e Sneijder distribuíam passes de pé em pé, mas foi o lateral Van Bronckhorst que abriu o placar. Aos 18 minutos do primeiro tempo ele mandou um míssil de fora da área, a Jabulani não mudou sua trajetória e foi morrer no ângulo esquerdo do goleiro Muslera, foi um dos gols mais bonitos da Copa. Diego Forlán representava o maior perigo da Celeste, e aos 41 minutos ele recebeu o passe, cortou para o lado esquerdo e chutou ao gol. A bola fez uma curva, o suficiente para o goleiro Stekelenburg não pegar: 1 x 1.

No segundo tempo a Holanda partiu pra cima, seu técnico colocou mais um meia ofensivo em campo (Van der Vart) e a seleção logo mostrou que não queria deixar a partida chegar até a prorrogação. O segundo gol holandês veio aos 25 minutos, Sneidjer recebeu dentro da área, cortou para o meio e chutou. A bola desviou no zagueiro uruguaio e quase encostou em Van Persie que estava impedido. O terceiro gol veio logo em seguida, Kuyt cruzou da esquerda e Robben testou no canto direito de Muslera aos 28 minutos. A Holanda desperdiçou ótimas chances de matar o jogo nos contra-ataques, e essas oportunidades quase fizeram falta já que Maxi Pereira ainda descontou para o Uruguai aos 47 minutos, provocando um último suspiro da Celeste. Mas ficou nisso mesmo, Holanda 3 x 2 Uruguai!

Uruguai disputa no sábado o terceiro lugar às 15h30m com o perdedor da outra semifinal, e a Holanda disputa a finalíssima no domingo na mesma hora! (Foto: GloboEsporte.com.br)

Adios Hermanos

Posted: domingo, 4 de julho de 2010 by FilipeJMS in Marcadores:
4

Assistindo telejornal na noite de sexta-feira, vi a Argentina em festa pela desclassificação do Brasil. Entre eles tinha um brasileiro, que agora não me recordo o nome, e ele disse: “Sabe qual a diferença entre Brasil e Argentina na Copa 2010? Um dia!” Foi exatamente o que aconteceu nas quartas de final da Copa do Mundo, após eliminar a Inglaterra nas oitavas, a Alemanha humilhou, triturou, acabou, esculachou (mais algum adjetivo? Rsrsrs...) a Argentina. Maradona e toda sua marra tiveram que colocar o rabinho entra as pernas e voltar para Buenos Aires “só” com seus dois títulos mundiais!

Tinha escrito que ainda não sabia qual era a verdadeira Alemanha, se era a da goleada na estréia da Copa e a do jogo contra a Inglaterra, ou se era a da vitória suada contra Gana e da derrota para Sérvia. Eu pelo menos não tenho mais dúvidas, os 4 x 0 em cima dos Herm
anos me deixaram com a primeira opção. Thomas Müller abriu o placar de cabeça logo aos três minutos do primeiro tempo, o cruzamento do gol foi feito pelo Schweinsteiger, era só o início da bela partida que o volante alemão iria fazer.

No segundo tempo o jogo estava equilibrado até a Alemanha marcar o segundo gol aos 23 minutos. Podolsky recebeu na área e esperou até a última hora para tocar para Klose, que livre não teve trabalho para marcar. O terceiro gol não demorou muito a sair não, aos 29 minutos o zagueiro Friedrich aproveitou o carnaval que Schweinsteiger fez e marcou outro para a Alemanha. Ainda cabia mais um, aos 44 minutos em rápido contra-ataque e de pé em pé, a bola terminou na rede Argentina, Klose foi o marcador. Foi seu 14° gol em Copas do Mundo, agora está apenas a um gol do Ronaldo Fenômeno. Fim de jogo e Alemanha nas semifinais!

No outro jogo do dia Paraguai e Espanha fizeram um confronto equilibrado. As duas seleções tiveram chances de abrir o placar em cobranças de pênaltis, mas ambas desperdiçaram. Primeiro foi o Paraguai aos treze minutos do segundo tempo com Cardozo, depois foi a vez de a Espanha desperdiçar com Xabi Alonso. A curiosidade dos lances é que na cobrança da penalidade paraguaia houve uma grande invasão na área e o juiz não mandou repetir a cobrança. No lance seguinte David Villa sofre pênalti duvidoso, na cobrança Xabi Alonso marcou, mas o juiz mandou voltar devido a uma invasão bem menor na área. Na segunda cobrança o espanhol desperdiçou. Para completar
a bagunça, no rebote o apoiador espanhol Fabregas sofreu pênalti do goleiro Villar não marcado pela arbitragem.

O gol espanhol saiu dos pés de quem já se esperava, David Villa. Aos 38 minutos Iniesta fez linda jogada pelo meio e rolou para Pedro, o atacante mandou na trave e no rebote a bola caiu nos pés de Villa. O novo atacante do Barcelona também chutou na trave, mas a diferença foi que a bola entrou em seguida. A Espanha fez seis gols na Copa 2010, cinco desses foram marcados por David Villa, agora artilheiro isolado do Mundial.

Na próxima quarta-feira às 15h30m Alemanha e Espanha repetem a final da Eurocopa 2008 em busca de uma vaga na final. (Fotos:GloboEsporte.com.br)

Brasil 1 x 2 Holanda

Posted: sexta-feira, 2 de julho de 2010 by FilipeJMS in Marcadores: ,
2

Não deu, o hexa vai ter que esperar até 2014! Assim como em 2006, o Brasil deu adeus nas quartas de final para uma seleção européia, dessa vez contra a forte seleção da Holanda. Para aqueles que acompanham as colunas do blog, devem lembrar-se dos meus palpites feitos antes da copa... po como eu queria ter errado esse!

No primeiro tempo o Brasil foi muito superior, tanto que chegou ao seu gol logo aos dez minutos. Felipe Melo deu belo lançamento para Robinho, que de primeira tirou do goleiro e abriu o placar. Com a vantagem a seleção sentou em cima do placar e não buscou muito mais o segundo gol, mesmo melhor em campo a seleção só teve mais uma oportunidade de gol. Robinho fez a festa no lado esquerdo holandês e tocou para Luís Fabiano, que de letra tocou para Kaká, este chutou colocado, mas o goleiro holandês fez boa defesa.

No segundo tempo tudo mudou, a Holanda cresceu na partida e o Brasil aceitou a pressão. A nossa defesa, tão elogiada antes, falhou no primeiro gol holandês. Sneijder cruzou e Felipe Melo trombou com Júlio César e a bola entrou no gol brasileiro, foi o primeiro gol contra brasileiro na história das Copas. O gol desestabilizou a nossa seleção, a bola parecia queimar nos pés dos nossos principais jogadores e o nervosismo tomou conta da nossa seleção. A virada veio aos 22 minutos em nova falha de Felipe Melo, Sneijder completou de cabeça após cobrança de escanteio. Depois do lançamento para o gol brasileiro, tinha prometido não criticar mais o Felipe Melo, mas ele vacilou novamente e ficou impossível de cumprir minha promessa. Aos 28 minutos o nosso volante demonstrou o seu destempero e foi expulso após falta em Robben.

Atrás no placar e com um a menos, a nossa seleção perdeu as forças. Dunga ainda mexeu mal, tirou Luís Fabiano e colocou Nilmar, não questiono a entrada do atacante, mas tirar o Luís Fabiano foi um erro. Gosto muito do futebol do Daniel Alves, mas nesse mês de Copa ele não estava bem e seria minha primeira opção para substituição. Dificilmente Dunga continua no comando da nossa seleção, espero que nosso próximo técnico consiga juntar talento com comprometimento. Se em 2006 a seleção tinha talento e faltou comprometimento, nessa tinha comprometimento e faltou talento!

O adversário da Holanda nas semifinais será o Uruguai. A classificação da Celeste foi conquistada somente nos pênaltis, após empate de 1 x 1 no tempo regulamentar e na prorrogação. O atacante ganês Gyan desperdiçou uma excelente chance de colocar o continente africano nas semifinais, no último minuto do segundo tempo da prorrogação Gyan chutou um pênalti no travessão. Coube ao Louco Abreu sacramentar a classificação do Uruguai!

A semifinal entre Holanda x Uruguai acontece na próxima terça-feira às 15h30m! (Foto: GloboEsporte.com.br)

As oito melhores Seleções da Copa 2010

Posted: quinta-feira, 1 de julho de 2010 by FilipeJMS in Marcadores:
2

Se antes da Copa alguém afirmasse que o continente Sul-Americano fosse ter quatro representantes nas quartas de final, esse alguém não seria levado muito a sério. Brasil e Argentina já eram de se esperar que chegasse longe na Copa, mas Uruguai e Paraguai surpreenderam muita gente. E poderia ter sido melhor, bastava o Chile ter empatado com a Espanha na última rodada da fase de grupos, que eles garantiam o primeiro lugar do grupo H e assim fugiam do confronto com o Brasil.

É a primeira vez na história das Copas do Mundo que o continente da América do Sul coloca mais representantes nas quartas de final do que a Europa. Muitos questionam o porquê desse amplo domínio, é sorte ou competência? Fico com a segunda opção, principalmente após verem as principais estrelas européias chegarem nas suas respectivas seleções “estourados” pelos rígidos campeonatos europeus que jogam. Mas muitos podem dizer que os jogadores sul-americanos também jogam esses campeonatos europeus. Sim, isso é verdade, mas se pararmos para analisar veremos que as seleções da América do Sul são mais equilibradas nesse quesito, alguns jogam os campeonatos daqui e outros os de lá.

Uruguai ficou em quinto lugar nas eliminatórias Sul-Americanas, e só se classificou para a Copa 2010 na repescagem em dois jogos contra a seleção da Costa Rica, vitória de 1 x 0 fora de casa e empate de 1 x 1 em casa. Na Copa caiu em dos grupos mais equilibrados, tudo bem que nele não tinha nenhum bicho papão (vimos que essa atual França não era grandes coisas), mas qualquer uma das quatro seleções poderiam se classificar. Nas oitavas de final fez um belo jogo contra a seleção da Coréia do Sul e venceu por 2 x 1, após 40 anos a Celeste chegava novamente entre as oito melhores do Mundial. E pode chegar até mais longe, a seleção de Gana, adversária das quartas, não me convence nenhum pouco.

O Paraguai fez uma eliminatória para a Copa de forma tranqüila, se classificou em terceiro lugar com um ponto a menos que o Brasil, líder das eliminatórias. Chegou a vencer o Brasil e a Argentina em Assunção, mas o acidente do seu principal atacante, o Cabañas que foi baleado na cabeça no início do ano, fez com que as expectativas do Paraguai neste mundial diminuíssem. Garantiu o primeiro lugar de um grupo difícil, deixando a atual campeã Mundial, a Itália, fora da Copa. Nas oitavas enfrentou outra boa surpresa, a seleção do Japão, e em um jogo amarrado, os paraguaios levaram a vaga na disputa de pênaltis e chegaram as quartas, é o melhor resultado do Paraguai na história das Copas do Mundo. Se a sorte ajudou nas oitavas, nas quartas jogou contra. A Espanha é uma das favoritas dessa Copa e tem tudo para despachar a seleção do Paraguai.

As quartas de final começam nesta sexta-feira, e com o fim da Copa se aproximando já me bate uma saudade de assistir três jogos diferentes por dia!